nov 21 2014

Impressora em braille feita com Lego recebe aporte para ganhar mercado


ShubhamBanerjee

Shubham Banerjee segura impressora feita com peças de Lego em uma das mãos e o protótipo do aparelho em outra; crédito: divulgação

Aos 12 anos, o estudante Shubham Banerjee, da Califórnia, criou não apenas uma impressora em braille. O jovem fez isso com peças de Lego e ainda conseguiu uma proeza: baixar o custo de US$ 2.000 para US$ 350.

O protótipo, apresentado em fevereiro deste ano, recebeu, neste mês, investimento da Intel Capital para acelerar seu desenvolvimento e chegar a 50 milhões de pessoas cegas. A tecnologia, além de ser de baixo custo, é silenciosa e portátil.

Shubham, fundador da Braigo Labs, foi a pessoa mais jovem a conseguir aporte da organização global.

“Tudo começou com um projeto para uma feira de ciências, mas o preço assustador de impressoras em braille me motivou a começar uma jornada para ajudar as pessoas com deficiência visual”, disse o jovem.

Por QSocial


nov 19 2014

Fernando Botelho apresenta o software F123 em prêmio internacional; assista


F123 no abcNove em cada dez pessoas com deficiência visual em países em desenvolvimento não têm acesso à educação. Alertando para a necessidade de tecnologias que permitam a inclusão de qualidade, o cocriador do F123 Fernando Botelho apresentou o software no abc* Continuity Forum, no dia 13 de novembro, em Miami, nos Estados Unidos.

O evento premia três organizações das Américas que têm desenvolvido soluções transformadoras e contribuam para uma sociedade mais justa e igualitária.

Fernando explicou, em sua apresentação de 8 minutos, que o custo dos softwares para pessoas cegas ou com baixa visão é um impeditivo para que elas ganhem o mercado de trabalho ou continuem seus estudos.

O cocriador do F123 usa seu exemplo. Quando perdeu a visão, durante a adolescência, não conseguia se destacar como aluno, mesmo com a ajuda de tutores. Foi para os Estados Unidos e, lá, com tecnologia assistiva, era o 4º melhor aluno da universidade _em uma turma de 904 alunos. “Esse é o impacto que podemos ter na vida de uma criança cega quando damos a ela a tecnologia certa”, afirmou.

As poucas pessoas que têm acesso muitas vezes usam softwares defasados, considera Fernando. Outros conseguem tecnologias modernas e competitivas, mas assim que terminam o treinamento para usá-las, percebem que nem a empresa nem a família podem arcar com os custos do programa, sinaliza.

O F123 é um software livre de baixo custo, que permite que desenvolvedores possam fazer melhorias no sistema. A proposta é garantir que planilhas, documentos e outros programas sejam acessíveis às pessoas cegas. “Não é apenas sintetização de voz, há também ampliação de tela, já que muitas crianças precisam de tamanhos de letras maiores para usar o computador com eficácia”, explica Fernando.

Fernando explica que a adaptação de uma pessoa com deficiência visual é rápida. Em questão de horas, ela se acostuma ao sintetizador de voz e sua velocidade.

O resultado do prêmio da abc* Foundation, ao qual o F123 concorre, será divulgado em dezembro.

Clique neste link para assistir à apresentação (em inglês). A explicação sobre o F123 está entre 1h05 e 1h14.

Por QSocial


nov 12 2014

F123 é destaque em evento da Unesco sobre acessibilidade


Reprodução do baner da conferência, que mostra várias figuras representativas de pessoas com deficiências e tem, no alto, o título do evento em braille O F123 foi um dos destaques hoje na abertura do evento “América Acessível: Informação e Comunicação para Todos”, um simpósio regional sobre acessibilidade para pessoas com deficiência que acontece até sexta em São Paulo.

Realizado pela União Internacional das Telecomunicações (UIT), pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e pela representação da Unesco no Brasil, o evento tem, segundo os organizadores, o objetivo de estimular a acessibilidade das tecnologias de informação e comunicação nas Américas, com metas factíveis de serem alcançadas no curto, no médio e no longo prazo.

Como forma de mostrar tanto os desafios quanto as oportunidades trazidas pelo tema, algumas experiências de sucesso serão apresentadas no decorrer da conferência, e o F123, software totalmente acessível a pessoas com deficiência visual, foi uma das escolhidas.

A discussão sobre a aplicação dessas tecnologias no continente americano fornecerá material para ampliar o debate na Conferência Internacional da Exclusão ao Empoderamento – O Papel das Tecnologias de Comunicação e Informação para as Pessoas com Deficiência, organizada pela Unesco, que acontece na Índia de 24 a 26 de novembro.

Por QSocial


nov 07 2014

Deficiente visual poderá solicitar versão em áudio de manual de produto


Ilustração de um globo terrestre "usando" fone de ouvido

Ilustração de um globo terrestre “usando” fone de ouvido

 

Foi aprovada pela Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle do Senado projeto que obriga fabricantes a fornecerem versão em áudio do manual do produto.

O projeto de lei segue agora para a Comissão de Direitos Humanos, em que será votado em decisão final.

Nele, o senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), governador eleito do Distrito Federal, propõe que a versão em áudio do manual seja disponibilizada na internet para ser baixada gratuitamente.

A obrigatoriedade de fornecer versão em áudio também se aplica a normas de prestação do serviço, antes e durante a realização dele.

O relator optou por incluir as normas no Código de Defesa do Consumidor e não na Lei 10.098/2000, que promove a acessibilidade de pessoas com deficiência, conforme proposto no texto original do Projeto de Lei do Senado (PLS), do senador Jayme Campos (DEM-MT).

Por QSocial

Com informações da Agência Senado


nov 03 2014

F123 é tema de reportagem na “Folha de S.Paulo”


Reprodução da versão para internet da reportagem da Folha de S.Paulo sobre o F123

Reprodução da versão para internet da reportagem da “Folha de S.Paulo” sobre o F123

 

A nova versão do F123  é tema de reportagem hoje na “Folha de S.Paulo”.

software livre é destinado a pessoas cegas ou com baixa visão e pode ser instalado em qualquer computador e sistema operacional pelo equivalente a 8% do preço do sistema mais vendido no mercado.

Leia aqui

 

 

 

 

 

 

 

 

 


nov 03 2014

Experimento ajuda cego a reviver memória visual


Yassine, Mario, Daniela, Gabor e Meritxell sorriem ao tocarem suas memórias

Yassine, Mario, Daniela, Gabor e Meritxell sorriem ao tocarem suas memórias

Sabe aquela memória visual que pode se apagar com o tempo? O projeto Touchable Memories (Memórias Táteis) que resgatá-las para quem perdeu a visão ao longo da vida.

Com a ajuda de impressoras com tecnologia 3D, fotos marcantes de cinco deficientes visuais foram transformadas em objetos para que eles pudessem sentir suas memórias.

No vídeo feito pela agência espanhola Lola, as reações de Yassine, Mario, Daniela, Gabor e Meritxell são emocionantes.

Detalhe de mão tocando cena que reproduz pai jogando filha para o alto

Detalhe de mão tocando cena que reproduz pai jogando filha para o alto

“As memórias para mim são quase como sonhos. São como areia ao vento. Estão aí e de repente não estão mais. Agora posso encontrar-me nas fotos”, resumiu Daniela.

Com o projeto, a marca de impressoras 3D Buccaneer quer mostrar que a tecnologia é apenas uma ferramenta, e que são as pessoas que dão a ela um propósito.

Por QSocial

 


out 30 2014

F123 é tema de programa da Globo; assista


reprodução da página na internet do Programa Como Será; nela, há uma foto de Fernando Botelho caminhando por uma rua, com auxílio de uma bengala, e o título: Inclusão – Software facilita acesso a emprego e educação para deficientes visuais

Reprodução da página na internet do Programa Como Será; nela, há uma foto de Fernando Botelho caminhando por uma rua, com auxílio de uma bengala, e o título: Inclusão – Software facilita acesso a emprego e educação para deficientes visuais

 

O programa “Como Será?”, da TV Globo, exibiu no sábado (25) uma entrevista com Fernando Botelho, empreendedor social criador do software F123, tecnologia gratuita com navegador web, e-mail e programas de texto adaptados para que uma pessoa com deficiência visual use-a em qualquer computador, já que é gravado num pen-drive .

“Tive acesso a tecnologias muito boas, mas a maioria das pessoas só conhece aquelas que são supercaras e isso acaba bloqueando muito a oportunidade educacional e de emprego para quem tem deficiência visual”, disse Fernando à repórter Júlia Bandeira. “O objetivo do F123 é democratizar o acesso à tecnologia.”

Assista aqui

Por QSocial

 

 

 

 

 

 


out 24 2014

Software para pessoas cegas e com baixa visão ganha nova versão gratuita e paga


F_123

Mulher usa notebook com software F123; crédito: Renato Stockler/Na Lata

O F123 tem, a partir de agora, uma nova versão do software para pessoas cegas e com baixa visão.

O programa, que pode ser instalado em qualquer computador, tem as versões recentes do navegador Mozilla Firefox, editor de texto e planilha eletrônica, mensageiro instantâneo e e-mail, além de um sistema de ajuda, com dicas para quem está começando.

Há ainda leitor e ampliador de tela mais avançados, com a possibilidade de atualizações automáticas do software e do conteúdo de ajuda sem necessidade de reinstalação.

Você pode baixar a versão gratuita aqui.

A versão paga inclui DVD para instalação do sistema F123, licença de voz de alta qualidade, apoio técnico prioritário para resolver até 10 problemas diferentes, atualizações automáticas do software e acesso a cursos de capacitação a distância por 12 meses. O investimento é de R$ 393, além do frete. A compra pode ser feita por este link.

O programa já foi vencedor do Prêmio FINEP de Inovação 2013 categoria Tecnologia Assistiva.

Quem preferir pode adquirir o Apoio Técnico F123 Visual e/ou a Voz de Alta Qualidade para o F123 Visual separadamente.

As compras podem ser feitas à vista ou em parcelas com cartão de crédito ou boleto bancário.

É possível ainda especificar no pedido, durante a compra, que o software seja enviado para uma escola ou para uma pessoa com deficiência visual.

Dúvidas e sugestões podem ser enviadas para o e-mail info@F123.org.

Por QSocial


out 24 2014

Capes financia estudo de tecnologias assistivas; F123 recebe pesquisadores


código binário

Ilustração azul mostra código binário, com os números 0 e 1, usado em computação

A Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) cadastra propostas de projetos de pesquisa em tecnologia assistiva até 6 de novembro.

A chamada visa fomentar a cooperação entre instituições civis para a implementação de projetos voltados ao ensino, à pós-graduação e ao desenvolvimento de projetos de pesquisas científicas e tecnológicas e à formação de profissionais nessa área.

Para participar, os profissionais devem estar vinculados a instituições de ensino superior.

Entre as áreas temáticas contempladas pelo programa estão estudos sobre auxílios que favoreçam o desempenho autônomo e independente em tarefas rotineiras; estudos sobre recursos de acessibilidade ao computador, idealizados para tornar o computador acessível a diferentes perfis de usuário; e estudos sobre recursos que ampliam a informação a pessoas com baixa visão ou cegas.

São financiáveis bolsas de mestrado, doutorado e mestrado-sanduíche, passagens aéreas, diárias, auxílio moradia (para doutorado-sanduíche) e material necessário para o projeto, entre outros. No total, 15 projetos serão apoiados pela Capes.

Vencedor do Prêmio FINEP de Inovação 2013 categoria Tecnologia Assistiva, o F123 desenvolve projetos para pessoas cegas ou com baixa visão. “Estamos sempre em busca de projetos de pesquisa para desenvolver novas tecnologias assistivas baseadas em software livre ou melhorar aquelas já existentes”, diz Fernando Botelho, um dos fundadores.

O F123 está aberto para receber bolsistas interessados em tecnologia assistiva baseada em software livre, incluindo sintetizadores de voz (MaryTTS e eSpeak), ampliação de tela, teclados virtuais, tecnologias de videoconferência como WebRTC, reconhecimento de voz, acessibilidade web, HTML e Javascript aplicados à matemática acessível, acessibilidade no estudo a distância, e todo tema relacionado à educação inclusiva.

Por QSocial


out 22 2014

F123 é finalista de prêmio internacional


Fernando Botelho em jardim de Curitiba (PR)

Fernando Botelho em jardim de Curitiba (PR)

O F123 é finalista do Continuity Forum, um evento da abc* Foundation para líderes que implementam soluções sustentáveis e replicáveis para grandes problemas. Três empreendedores sociais, entre os 23 selecionados de toda a América, vão receber aporte, consultoria e suportes de mídia e marketing por dois anos.

A proposta da fundação é maximizar o impacto social dessas organizações.

O evento será realizado nos dias 13 e 14 de novembro em Miami, nos Estados Unidos, e terá apresentação de empreendedores sociais. Fernando Botelho, cocriador do F123, terá a missão de explicar o software e como ele colabora para a inclusão.

O F123 melhora as perspectivas educacionais e de emprego de pessoas cegas ou com baixa visão por meio de um software de alto desempenho e baixo custo, treinamento e suporte técnico. Por meio de uma tecnologia acessível, o F123 permite que essas pessoas estudem, trabalhem e, consequentemente, saiam da linha da pobreza.

Por QSocial 


Próxima Página »