set 01 2014

Aposentado cego quer correr 18 mil km pela neta


O americano David Kuhn, 62 anos, é um aposentado cego que, em abril, se impôs um desafio: correr 17.700 quilômetros pelos Estados Unidos. É como atravessar o Brasil quatro vezes, do Oiapoque, no Amapá, ao Chuí, no Rio Grande do Sul. Sua meta, além de chegar ao destino, é arrecadar fundos para a pesquisa da fibrose cística.

A neta de David, Kylie, hoje com 12 anos, nasceu com a doença hereditária, que provoca acúmulo de secreção no pulmão e no pâncreas, diminuindo a expectativa de vida para cerca de 30 anos. As doações vão para a Fundação da Fibrose Cística, mas não só: ele também diz que vai colaborar com a Fundação Combatendo a Cegueira e para pesquisas contra o câncer infantil.

Em maio, David atingiu a marca de 481 quilômetros. No fim de julho, já havia percorrido 10% de seu trajeto, ou 1.770 quilômetros.

“Eu tenho as pernas e a gana de fazer isso”, escreve ele em seu site. E acrescenta: “Ela pode atingir sua expectativa de vida antes que eu alcance a minha, e seus anos serão mais difíceis e dolorosos que os meus. Kylie e eu precisamos de você”.

Para completar sua missão, David conta com doadores. E, principalmente, com voluntários que sejam seus guias durante a viagem. Pelo caminho, ele conta com pessoas que possam correr ou andar a seu lado por 12,8 quilômetros por dia durante uma semana ou um mês.

A maratona deve levar 18 meses, de acordo com o planejamento de David. Em sua conta no Instagram, ele coloca fotos de quem o ajuda no percurso.

No dia 19 de agosto, o maratonista comemorou US$ 5.000 em doações. Sua meta é chegar a US$ 500 mil.

Por QSocial


ago 28 2014

Lançado app gratuito para quem tem deficiência navegar na web


Uma tecnologia assistiva inovadora que facilita a navegação na internet de pessoas com deficiência física e visual pode ser baixado a partir de hoje no site da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida de São Paulo.

Desenvolvido para computadores pessoais, o aplicativo canadense Oessential Accessibility auxilia usuários com dificuldades de controlar o mouse, usar o teclado ou ler na tela. Na prática, funciona como um navegador com recursos de acessibilidade, como o que permite controlar o cursor com movimentos do rosto.

Uma vez feito o download em um computador, o app pode ser usado sem custo em qualquer outro site. O recurso poderá ser utilizado também nas salas de recursos multifuncionais que atendem alunos com deficiência da rede municipal de ensino.

Por QSocial


ago 25 2014

Projeto quer tornar impressão 3D acessível em livros infantis


 

Legenda: Um livro fechado com um laço e outro aberto, onde há um texto na página da esquerda em que se lê “Boa noite, relógio e boa noite, meias”; na página da direita, há as figuras em 3D de um relógio e de um par de meias; Crédito: Divulgação

Legenda: Um livro fechado com um laço e outro aberto, onde há um texto na página da esquerda em que se lê “Boa noite, relógio e boa noite, meias”; na página da direita, há as figuras em 3D de um relógio e de um par de meias; Crédito: Divulgação

Uma imagem vale mais do que mil palavras. Mas e quem não pode vê-las? Foi pensando nisso que pesquisadores da Universidade do Colorado, nos EUA, recorreram à impressão 3D para proporcionar narrativas ilustradas a pequenos leitores com deficiência visual.

Legenda: No quarto, um coelho está deitado na cama e tem, de um lado, uma mesa com um abajur e mingau e, do outro, uma cômoda com telefone; sobre sua cabeça, um quadro com três ursos filhotes; a janela está aberta e há uma lua cheia; Crédito: Reprodução

Legenda: No quarto, um coelho está deitado na cama e tem, de um lado, uma mesa com um abajur e mingau e, do outro, uma cômoda com telefone; sobre sua cabeça, um quadro com três ursos filhotes; a janela está aberta e há uma lua cheia; Crédito: Reprodução

A história de um coelhinho enfiado debaixo das cobertas que diz boa noite a todos os objetos de seu quarto (“Boa Noite Lua”, de Margaret Wise Brown, com mais de 40 milhões de cópias vendidas no mundo todo) foi a primeira escolha do projeto Tactile Picture Books.Depois vieram outros clássicos infantis, como a do garotinho de quatro anos que tem o poder de desenhar seu próprio mundo (“Harold e o Lápis Roxo”, de Crocket Johnson) e a do desejo perpétuo de comida de um inseto até transformar-se numa borboleta (“A Lagarta Faminta”, de Eric Carle).

A ideia de imprimir livros com imagens táteis não é inédita, diz Tom Yeh, professor do departamento de ciência da computação. “O que é novo é fazer a impressão 3D mais acessível e interativa. Nosso objetivo é fazer com que pais, professores e simpatizantes de crianças com deficiência visual aprendam a usar impressoras e softwares 3D para fazer livros personalizados”, conta.

A equipe do professor Yeh trabalha agora na difícil combinação de algoritmos para chegar a uma escala adequada para transformar ilustrações 2D em 3D respeitando a capacidade cognitiva das crianças. Os testes estão sendo feitos em uma pré-escola de crianças com deficiência visual de Denver.

Até lá, Yeh convoca amadores que já possuem impressoras 3D a “doar suas mentes criativas e tempo para fazer algo que beneficie as crianças com deficiência visual”.

Por QSocial


ago 24 2014

Paraná abre Semana de Leitura Inclusiva


Legenda: Pessoa com deficiência visual usa equipamento de leitura; Crédito: Divulgação/Biblioteca Pública do Paraná

Legenda: Pessoa com deficiência visual usa equipamento de leitura; Crédito: Divulgação/Biblioteca Pública do Paraná

Com cinema, teatro, coral, palestras e oficinas, começa amanhã (25) e vai até sexta-feira a Semana de Leitura Inclusiva promovida pela Biblioteca Pública do Paraná em parceria com a Fundação Dorina Nowill para Cegos.

O evento, que acontece pela primeira vez em Curitiba, busca incentivar a leitura e a inclusão social de pessoas que tenham algum tipo de deficiência visual ou auditiva.

No dia 25, às 9h30, o destaque é a oficina de audiodescrição, com Flavio Coelho, que falará sobre o recurso que permite a inclusão de pessoas com deficiência visual em mídias como cinema, teatro e televisão.

No dia seguinte, depois da exibição do curta-metragem audiodescrito “Tereza & Tereza”, do diretor Guilherme Biglia, às 14h, a audiodescrição retorna à pauta, desta vez com um bate-papo com os especialistas Tania Mara Cardoso (Instituto História Viva), Luiz Vanderlei Rodrigues (presidente do Fórum das Pessoas com Deficiência de Curitiba) e Amanda Christiane Rocha Nicolau (professora de Música do Projeto Ver com as Mãos, do Instituto Paranaense de Cegos).

No dia 27, haverá a apresentação do espetáculo teatral “Rir e Refletir”, do grupo Unidev (Ponta Grossa), às 15h. O “Coral Mãos em Cena”, da Associação Beneficente Dikaion, apresenta-se no dia 29, às 15h. Na sequência, será realizado o pré-lançamento do livro em áudio “Brasil Não Motorizado”, coletânea de textos sobre mobilidade urbana organizada por Antonio Carlos de Mattos Miranda e João Carlos Cascaes.

Mais informações: (41) 3221-4985.

Por QSocial

 

 


ago 20 2014

1º aplicativo para leitura de livros digitais acessíveis será lançado na Bienal do Livro


Pessoa lê livro em Braille

 

A 23ª Bienal Internacional de São Paulo abre amanhã (22) no Pavilhão de Exposições do Anhembi com lançamentos e ações inclusivas para pessoas com deficiência visual.

A Fundação Dorina Nowill, em parceria com a Câmara Brasileira do Livro, colocará guias videntes voluntários à disposição de cegos ou pessoas com baixa visão. Eles farão a  descrição do ambiente, dos estandes e indicarão aos visitantes locais de interesse.

No estande 351 da Rua A, a fundação mostrará o avanço da leitura para a pessoa com deficiência visual, aliando o Sistema Braille de Leitura e Escrita ao formato em áudio e  ao digital acessível.

O grande lançamento será o DDReader para Android, o primeiro aplicativo para leitura de livros digitais acessíveis Daisy (formato de arquivo padrão aberto, ou seja,  qualquer um pode desenvolver um software para ler ou mostrar livros gravados nesse formato) a ser lançado em português, já disponível para download gratuito no Google  Play.

Lá também os visitantes poderão vivenciar várias formas de ler o recém-lançado “Palavras Invisíveis”: no formato Braille, exposto em uma área chamada “Um Livro Para Você”; em áudio e tinta-Braille, no espaço “Um Livro Para Compartilhar”; e no formato Daisy, que permite o acesso de todos ao mesmo conteúdo, em “Um Livro Para Todos”.

Para as crianças, haverá contação de história, em uma roda de leitura inclusiva, feita por um homem-robô. Um monitor conduzirá a atividade com a coleção “Brailinho Tagarela”, feita por meio de um tablet com DDReader com voz humana, apresentando à garotada, de forma interativa, mais um formato de material acessível que pode ser lido também por quem não tem deficiência visual.

As atividades vão acontecer de 25 a 29 de agosto em duas sessões: das 10h às 11h e das 14h às 15h. A Bienal 2014 acontece até o dia 31 de agosto. O horário de funcionamento é de segunda à sexta, das 9h às 22h, e aos sábados e domingos, das 10h às 22h. Ingressos de R$ 6 a R$ 14.

Por QSocial


ago 20 2014

Pessoas com deficiência podem ter prioridade na restituição do IR


Ilustração de um cifrão verde, com sombra cinza, em 3D

Ilustração de um cifrão verde, com sombra cinza, em 3D

 

A Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 6.349/13, que dá prioridade a pessoas com deficiência no recebimento da restituição de Imposto de Renda (IR).

A proposta é de autoria do senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) e, após aprovação no Senado, teve sua abrangência aumentada de “portadores de deficiência física” para “pessoas com deficiência”.

O Projeto de Lei modifica a Lei 9.250/95, que trata de tributos federais, para acrescentar a prioridade. Atualmente, a lei que regulamenta o processo administrativo nos órgãos federais (9.784/99) já prevê preferência para idosos e para portadores de deficiência física ou mental em qualquer procedimento administrativo na esfera federal, determinação que atualmente é cumprida pela Receita Federal no caso das restituições.

Segundo a relatora da matéria na Comissão de Seguridade Social, deputada Nilda Gondim (PMDB/PB), “nada mais justo que o recebimento antecipado da restituição, uma vez que a pessoa com deficiência deve ser protegida em suas necessidades básicas, nas quais se inserem as financeiras”.

O projeto ainda será analisado conclusivamente pelas comissões de Finanças e Tributação, de Constituição e Justiça e de Cidadania. Caso seja acatado, será encaminhado à sanção presidencial.

Com informações da Agência Câmara.

Por QSocial


ago 18 2014

Roteiro traz programas com audiodescrição na TV aberta


Ainda são poucos os programas com audiodescrição na TV aberta.

Algumas séries, filmes e produções destinadas ao público infantil compõem grande parte das opções na telinha para pessoas cegas ou com baixa visão.

Emissoras como a Globo dizem estudar a ampliação da oferta para 2015. Na TV Brasil, há semanas com até 9 horas de programação com audiodescrição.

Veja, a seguir, o que está disponível hoje na TV aberta, segundo as emissoras. TV Cultura e Gazeta não responderam até o momento.

Band

iCarly
De segunda a sexta, às 10h10
Série americana que traz a história de duas amigas que decidem fazer um programa na internet

Como Eu Conheci Sua Mãe
De segunda a sexta, às 21h30
Série americana em que o protagonista conta para os filhos a história de como conheceu a mãe deles

SBT

Chaves
De segunda a sexta, às 18h30; sábados, às 6h e às 19h20; domingos, às 9h
Seriado mexicano sobre Chaves, um menino pobre de 8 anos que dorme em um barril

Globo

Tela Quente
Segundas, às 22h50
Filmes diversos

Supercine
Domingos, à 1h35
Filmes diversos

Temperatura Máxima
Domingos, às 14h05
Filmes diversos

Domingo Maior
Segundas, à 0h40

Record

Desenhos Bíblicos
Domingos, das 6h30 às 8h
Desenhos animados baseados em histórias da Bíblia

Record Kids – Pica-Pau
Domingos, das 9h30 às 11h
Desenho animado americano sobre as travessuras de Pica-Pau, um pássaro encrenqueiro

TV Brasil

Historietas Assombradas
De segunda a sexta, às 11h
Série de animação brasileira que traz a história de Pepe, um garoto preguiçoso que mora com a avó

A TV que se Faz no Mundo
Segundas, à 1h30; sábados, à 0h15
Série de documentários sobre as emissoras de TV em diversos países

Nova África
Terças, à 1h30; sábados, à 0h30
Série com viagens por destinos africanos com o objetivo de conectar o Brasil a países daquele continente

Cine Nacional
Sextas, às 22h30
Produção nacional de ficção e documentário, de várias épocas e gêneros

Programa Especial
Sábados, às 10h30; domingos, às 6h30
Programa sobre a inclusão social de pessoas com deficiência, com assuntos como trabalho, esporte e saúde

O Teco Teco
Domingos, às 11h15
Histórias, jogos e desafios para crianças entre 7 e 10 anos de idade

Shamwari
Domingos, às 17h
Série mostra a natureza e os animais na reserva natural de Shamwari, na África do Sul

Curta TV
Domingos, à 1h
Filmes e notícias sobre a produção de curta-metragens brasileiros

Por QSocial


ago 12 2014

Quer ter cão-guia? Inscreva-se até domingo


A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República recebe até o próximo domingo inscrições para o Cadastro Nacional de Candidatos a Utilização de Cães-Guia, que tem como objetivo promover o direito da pessoa com deficiência visual ao acesso de tecnologias assistivas.

Os inscritos participarão do processo de seleção para formação de duplas com cães oriundos dos Centros de Formação de Treinadores e Instrutores de Cães-Guia dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia que disponibilizam o curso.

Sempre que houver a disponibilidade de cães-guia, os centros irão acessar o Cadastro Nacional para iniciar o processo de seleção. A inscrição no cadastro nacional não garante o direito de receber um cão-guia.

Para participar, os interessados devem ser maiores de 18 anos, além de apresentar condições físicas, psicológicas e financeiras para manter um cão-guia.

As inscrições deverão ser feitas neste link

Por QSocial


ago 11 2014

F123 participa de Fórum de Software Livre em Curitiba


Fernando Botelho, cofundador do F123, será um dos palestrantes do 6º Fórum de Tecnologia em Software Livre que acontece de 18 a 20 de setembro em Curitiba (PR).

Fernando Botelho, cofundador do F123; foto: Na Lata

O evento, que é anualmente promovido pelo Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados), tem como objetivo disseminar novas tecnologias baseadas em software livre.

Além de palestras, haverá oficinas e mesas-redondas. A inscrição é gratuita e aberta tanto a estudantes e professores quanto a profissionais do mercado e empresas. Os interessados em participar devem preencher um formulário neste link.

Botelho se apresentará no dia 20, às 21h, e terá como tema o F123, negócio social que desenvolveu um software de baixo custo e alta qualidade para a inclusão de pessoas com deficiência visual. Mais informações sobre o evento aqui.

Por QSocial


ago 08 2014

SP seleciona alunos com deficiência para Jogos Escolares


Jovem nada durante prova das Paralímpiadas Escolares 2010; crédito: divulgação do Comitê Paralímpico Brasileiro

 

O governo do Estado de São Paulo fará amanhã (9/8) uma seletiva para estudantes que tenham interesse em competir nos Jogos Escolares do Estado. As provas começam às 9h e vão acontecer na pista de atletismo do Ginásio do Ibirapuera (rua Manoel da Nóbrega, 1.361, São Paulo). A participação nessa competição é um requisito básico para que o atleta possa ser selecionado para alguma das dez modalidades das Paralimpíadas Escolares deste ano e, eventualmente, até para a Paralimpíada de 2016, no Rio.

Cerca de 170 alunos com deficiência física, visual ou intelectual, de 51 cidades do Estado e com idades entre 12 e 17 anos vão participar da seletiva estadual. São atletas que se destacaram em disputas em suas próprias escolas dos ensinos fundamental ou médio de instituições públicas ou particulares paulistas.

A delegação será formada pelos melhores competidores com deficiência das modalidades de atletismo, natação, bocha, futebol de 5, futebol de 7, judô, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas e vôlei sentado.

Segundo a secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, as Paralimpíadas Escolares buscam revelar novos valores e possíveis atletas, além de deixar um “legado importante e difundir o conhecimento necessário para a prática paradesportiva no ambiente escolar”.

Por QSocial


Próxima Página »